Michel Temer encontra Tancredo Neves

Em momentos difíceis precisamos da história para construir uma interpretação sobre fatos de hoje. Ou para elucidar diferenças e semelhanças.

A primeira diferença é entre Tancredo Neves e Michel Temer, em segundo em relação a seu neto, e em terceiro em relação ao PMDB.

Antes de morrer Getúlio Vargas encontrou Tancredo Neves, deu a este uma caneta e lhe disse: “Ao amigo certo nas horas incertas”.

Tancredo Neves havia sido cassado pelo golpe impetrado pelo próprio Getúlio em 1937. Naquele momento era seu Ministro da Justiça em um momento em que UDN e mídia (não por coincidência mas a mesma mídia que apoia hoje a escalada golpista do PSDB), uniam-se contra as leis criadas durante esse governo.

Por ironia entre elas se encontrava o aumento de 100% do salário mínimo, o mesmo salário mínimo que Michel Temer prometeu não dar aumentos ao discursar para empresários ao falar sobre seu projeto “pontes para o futuro (sic)”.

Tancredo esteve na defesa de todo o aparato jurídico de proteção social construído nesse momento, e em garantir que o voto POPULAR escolhesse o novo presidente. Esteve ao lado dos que procuravam garantir o resultados das urnas contra a tentativa de golpe de 1954 e antes em 1950.

Vale destacar que Carlos Lacerda na eleição de 1950 chegou a dizer: “Vargas não deve ser candidato. Se for candidato, não deve ser eleito. Se for eleito, não pode tomar posse. Se tomar posse, não pode governar”

Em um período em que as elites no Brasil buscaram todas as formas possíveis para contornar o voto e democracia, Tancredo Neves não se colocou ao lado dos que procurassem enfraquecer as instituições democráticas. Aqui a diferença com seu neto é Abissal.

Desde que perdeu as eleições Aécio em 1 e 2 meses não fez nada além de buscar alguma forma de contornar os votos que não obteve. Em sua escalada chega a contestar a contagem dos votos! uma ação absurda que se baseia na alegação absurda de fraude das urnas eletrônicas, levantada principalmente por meio de mídias sociais que difundem a ignorância e a desinformação. Desinformação mantida pela grande mídia que permite que esses boatos existam e sejam difundidos, não cumprindo com o dever moral de informar  a população. Nesse quesito é importante lembrar que nas redes sociais os ataques ao gênero, piadas machistas e misóginas são o que fazem os atos e argumentos absurdos que tem origem em  Aécio e no PSDB.  Machismo e misoginia nunca combatida pelos que tem dever de informar.

As ações de Tancredo Neves na década de 1950 já demonstram sua diferença com as personagens Temer e Aécio.

Até porque, diante de Tancredo Neves esteve diante de uma carta também,  a de Getúlio Vargas que o conduz a história e impede a queda em uma ditadura.

Michel Temer diante da carta, que nem mesmo escreveu ao que parece, que o conduz ao ridículo e ao lado de uma plutocracia que almeja sobretudo retomar a direção que perdeu.

É preciso lembrar que na década de 1960, quando foi nomeado primeiro ministro, Tancredo Neves defende a legalidade e efetivamente leva a posse o vice-presidente constitucional João Goulart.

Novamente diante de uma proposta de golpe Tancredo escolheu a constituição e a defesa da escolha das urnas a despeito do histrionismo de uma mídia que após o golpe vai comemorar o golpe de estado efusivamente.

Diante de Tancredo Neves e do Movimento Democrático Brasileiro que esse ajudou a criar Michel Temer e seu PMDB não chega a ser uma pálida lembrança. Nosso vice-presidente escolheu ser uma personagem menor.

Aécio Neves diante do avô escolheu como espelho Carlos Lacerda, entre aquela tradição legalista do MDB de seu avô e Ulysses Guimarães escolheu carregar o PSDB para o golpismo desvairado da UDN. A aliança com Eduardo Cunha é só a consolidação de um processo que teve início com FHC.

A absurda ação aberta contra Dilma Rousseff por Eduardo Cunha (PMDB) secretamente apoiada por Michel Temer é uma afronta a essa história. Uma afronta a constituição cidadã promulgada de Ulysses Guimarães a tudo pelo qual o MDB havia lutado contra a Ditadura. Diante de Tancredo, Michel Temer escolheu Ranieri Mazzilli.

O apoio da mesma mídia e plutocracia que em 1950, 1954 e 1964, se colocaram contra os direitos da população, contra qualquer discussão sobre direitos é uma afronta a lógica, a constituição e aos direitos de escolha das urnas.

Diga não ao Golpe!

#NãoVaiTerGolpe

#DilmaFicacatelo posse

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s